PERFIL SEMANAL

Lar.png

Para ter uma pele mais

saudável, invista em felicidade

Por Kelly Garcia

Nossa entrevistada desse domingo é a médica dermatologista e cosmiatra Isabel de Sá Cavalcante. Atuando em consultório dermatológico e oferecendo o que há de mais moderno em procedimentos estéticos, utilizando preenchedores de última geração, a profissional conversou sobre as técnicas que utiliza para tratar suas pacientes e também sobre a importância do bem-estar para uma pele mais saudável. Saiba mais no perfil semanal em nosso portal.

Como você optou pela medicina? E pela Dermatologia?

Ingressei no curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará aos 17 anos. Vencer desafios era a minha meta como jovem estudante. Gostei do curso e sempre me empenhei em dar o meu melhor. Nessa profissão, podemos trabalhar e ter a satisfação de poder ajudar as pessoas. A Dermatologia é apaixonante: bela, diversificada, cada vez mais evoluindo, com novos produtos e técnicas, capazes de promover a joviabilidade, levando as pessoas a estarem mais felizes e bem consigo.

 

Vivemos em uma cidade que tem sol o ano todo. Como se proteger de forma segura?

Moramos em um Estado ensolarado, com belas praias de areia fina e água morna. Impossível não amar nossas praias. O sol é nosso amigo, porém devemos ter cuidado com ele. Evitar o horário entre 10 e 15 horas, com radiações UVB cancerígenas. Outros horários são ricos em raios  UVA, que causam envelhecimento e manchas na pele. Então é bom se expor com moderação, usar protetor solar e evitar os horários com UVB. Porém, um banho de mar recupera as energias. Impossível não pensar em Deus, vendo a beleza das ondas do mar e do céu azul.

 

Hoje, existem muitos tratamentos que ajudam a manter uma pele jovial e melhorar marcas de expressão. Quais tipos de tratamento você oferece e quais as vantagens de cada um?

Atualmente, trabalho com Preenchedores de Ácido Hialurônico nas suas mais diversas apresentações. Tratamento de rugas, sulcos, linhas de expressão, flacidez. Efeito Lifting e volumizador imediato e duradouro.

Harmonyca, que é um produto híbrido, bioestimulador e preenchedor, para melhora da flacidez e contorno facial.  

Profhylo, que é um tipo de ácido hialurônico com efeito Bioremodelador, que atua estimulando o colágeno e elastina em todas as camadas, hidratação profunda e luminosidade da pele. Efeito também imediato.

Botox, já consagrado no mercado para o tratamento de rugas dinâmicas e estáticas.

Ainda faço tratamento de lesões pré-cancerosas, manchas de pele, acne, doenças de cabelo e unhas.

Enfim, como médica, temos a capacidade de tratar doenças e como especialista em Cosmiatria, também melhorar a beleza e juventude da pele.

 

Existe um limite mínimo de idade para fazer algum tipo de procedimento no rosto?

Por volta dos 30 anos, se inicia o processo de envelhecimento da pele, com a diminuição dos coxins gordurosos responsáveis pela sustentação dos tecidos, aparecimento de rugas e sulcos mais profundos. Quanto mais precoce o início do tratamento, melhor resposta teremos. 

Lembrar que em faixa etária mais precoce existe a prevalência de outras doenças. A acne tratada melhora a auto-estima e previne as cicatrizes. Atualmente, temos muitos medicamentos para superar  essa fase tão bela, a adolescência.

 

Quais são os tipos mais procurados pelas mulheres? E pelos homens?
Quais alimentos para melhorar a qualidade da pele?

Para a beleza da pele, é importante ingerir água e alimentos ricos em vitaminas, como frutas e verduras. E pobres em gorduras e carboidratos.
Também devemos evitar enlatados, alimentos com conservantes e o fumo. 

O  estresse e a obesidade também influenciam na saúde da pele. 

É importante fazer exercício físico, para manter a saúde física e mental e, consequentemente, ter uma pele mais bonita e saudável. 

Tudo que é saudável melhora a pele, assim como estar de bem com a vida e com você mesmo e fazer o bem às pessoas, ser generoso.

 

Nós indique uma série, um livro e um filme.

Os meus livros preferidos são "A maravilha das pequenas coisas", de Dawn French e "O arroz de Palma", de Francisco Azevedo. Os filmes que indico estão disponíveis na Netflix: Gente que vai e volta e Amor esquecido e a série, The Chosen.

Lar.png

Perfis em Destaque

WhatsApp Image 2024-05-19 at 09.04.38 (1).jpeg

OLGA SANFORD possui formação erudita, pois nasceu no lar de D. Edite e Humberto Jansen Barroso, onde se cultivava intensamente o amor à música clássica e às atividades culturais. A bela Olga, viúva do cavalheiro João Sanford, é mãe de filhos adoráveis : Nize, Carla, Maria e Paulo. Um padrão de charme e elegância, muito querida na sociedade cearense é hoje o destaque do Perfil Semanal assinado por José Augusto Lopes.

WhatsApp Image 2024-05-19 at 09.36.17 (1).jpeg

1) Como surgiu seu louvável empenho de trabalhar como voluntária social, em benefício das comunidades carentes?
- Fui criada dentro dos princípios de que amar e ajudar o próximo é uma premissa cristã fundamental, sobretudo em favor dos mais necessitados.


2) Cite uma música inesquecível.
- Dentro da formação clássica de meu pai, que promovia saraus artísticos em nossa casa, aprecio a qualidade da música em si, independente do gênero que a define.

 

3) Um filme marcante.
- Talvez pareça redundante citar Casablanca, que é quase uma unanimidade, mas esse filme tem o roteiro que é considerado talvez o mais perfeito na história do cinema.


4) Momentos Inesquecíveis.
Todos os passados ao lado da minha família, bem como aqueles em que me sinto útil ao trabalhar em favor dos carentes.


5) Já que é ligada à música clássica, qual seu compositor predileto no gênero?
- Talvez siga a preferência do meu pai e opte pelo sublime romantismo de Brahms.

Lar.png

Perfis em Destaque

GRAÇA DIAS BRANCO DA ESCÓSSIA detém em si, de forma intrínseca, dons que dignificam o caráter humano. Aquela luz interior que se irradia por todos os setores de sua vida, desde a elegância pessoal ao desempenho como esposa do Dr. Jório da Escóssia Jr., mãe de família, filha, irmã e amiga, bem como na firme atuação de talentosa e dinâmica empresária no Grupo M. Dias Branco.

Como iniciou sua atuação no grande grupo empresarial a que pertence?
Logo que me formei em Direito, carreira para a qual sempre fui vocacionada pelo senso de Justiça que é muito arraigado em mim, meu inesquecível pai, Ivens Dias Branco, confiou-me a administração do Hotel Praia Centro. Ele sempre teve muita firmeza em suas tomadas de atitudes.


Seu pai, então, foi um decisivo exemplo em sua vida?
 Um exemplo extraordinário, que união a capacidade empresarial a uma notória sensibilidade como ser humano, bem caracterizada pela forma como sabia se relacionar com o próximo. Ele era obstinado e determinado. No íntimo, foi um grande e constante sonhador.


Um dos louváveis méritos de seu pai era sua espontânea e reconhecida generosidade. Como vê esse aspecto do seu caráter?
Meu pai exercia seu caráter solidário sempre da forma mais discreta possível. Acredito que sempre tem de ser assim. Ajuda alardeada deixa de ser ajuda para se tornar exibicionismo.


Qual o seu conceito de família?
Família é o início de minha história e minha maior riqueza. A família dá sentido à existência.

 

5) Que tipo de leitura mais a impressionou?
Em especial, o livro Liderança Positiva, de Guilherme Guimarães, e a biografia de meu pai, eterno norteador de toda a minha concepção de trabalho, de fé e de vida.

Lar.png

Para manter a

saúde do coração

Por Kelly Garcia

Nosso entrevistado desta semana é o médico cardiologista mineiro Augusto Vilela. Fundador e CEO do Instituto do Coração - Fortaleza, é palestrante e professor da Afya IPEMED. Membro Titulado da Sociedade Brasileira de Cardiologia, também é pesquisador científico adjunto do InCOR.

 

Também foi coordenador da Unidade de Dor Torácica do Hospital Belo Horizonte, do departamento de Insuficiência Cardíaca e de cardiologia da Mulher da mesma unidade de saúde, e ainda do Ambulatório de CardioNefrologia da Rede Mater Dei.

 

Nas horas vagas, gosta de estar com a família, seu porto seguro, de assistir aos jogos do seu time do coração e estudar.

Confira uma conversa leve sobre bons hábitos de saúde e os cuidados para manter o coração saudável.

Você está chegando a Fortaleza para trazer várias inovações na área do atendimento em Cardiologia. Fale o que os pacientes poderão encontrar no INCORF.

Os pacientes irão encontrar, primeiramente, um atendimento humanizado, tecnologia de ponta e várias especialidades com profissionais altamente qualificados. Além disso, estamos trazendo novos exames e tratamentos com novas tecnologias, como por exemplo, a bioimpedância com inteligência artificial e a reabilitação cardíaca com realidade virtual. Em breve, teremos o check up, no qual o paciente irá pela manhã e será avaliado por vários profissionais e realizar os principais exames. 

 

Como você optou por essa área da Medicina?

Meu avô era minha referência paterna e tinha insuficiência cardíaca (uma doença grave com mortalidade maior do que a maioria dos tipos de câncer). Isso me deixava com muito medo de perdê-lo e me motivou a estudar o coração, para poder ajudá-lo. 

 

Antes de chegar a Fortaleza, você esteve em quais Estados? O que está achando da cidade?

Sou natural de Belo Horizonte-MG, mas me formei no Rio de Janeiro, capital. Me mudei para Fortaleza, trazendo minha equipe devido a uma proposta para desenvolver protocolos e pesquisas científicas. Eu, minha família e minha equipe estamos adorando a cidade. O povo cearense nos acolheu com muito carinho. 

 

Além da Cardiologia, quais outras especialidades os pacientes encontrarão no INCORF?

Endocrinologia, gastroenterologia, fisioterapia, nutrição, psicologia, angiologia, cirurgia vascular, estimulação cardíaca e avaliação de marcapasso. Mas estamos em crescimento e queremos ofertar cada vez mais especialidades aos nossos pacientes. 

 

A partir de que idade as pessoas devem fazer exames periódicos no aparelho circulatório. Quais são indicados?

A prevenção é o melhor tratamento e, para prevenir, é necessário iniciar o quanto antes com alimentação saudável, atividade física regular e avaliação médica pelo menos  uma vez por ano. Já para os pacientes que possuem histórico familiar, é importante iniciar a partir dos 30 anos de idade, uma vez que as doenças cardiovasculares estão surgindo cada dia mais precocemente (basta ver os noticiários e notar a quantidade de infarto em jovens). Os exames indicados irão depender do exame físico, queixas e histórico familiar. Um dos motivos para o qual estamos desenvolvendo o programa de checkup é justamente para prevenir não apenas as doenças cardiovasculares, mas todas as patologias.

 

Que medidas as pessoas devem ter para prevenir problemas cardíacos?

Alimentação saudável rica em verduras, frutas, alimentos integrais e orgânicos, evitar gorduras saturadas e trans, manter o IMC até 25,0, atividade física pelo menos de 150 minutos por semana, não fumar, controlar o estresse e manter o sono em torno de 7 a 8 horas por noite. 

 

Quais os seus hobbies?

Estudar, realizar palestras, assistir aos jogos do Atlético Mineiro (time do coração) e principalmente curtir a família, que é minha base para tudo. 

 

Como você cuida do seu bem-estar? E da sua espiritualidade?

Meu bem-estar está diretamente ligado ao da minha família e amigos. Eles estando felizes, estou feliz. Sobre espiritualidade, tenho muita fé, não saio de casa sem meu terço no bolso e sou grato a Deus por tudo. Me conecto pela manhã, noite e em todos os momentos que posso para pedir luz ou agradecer. 

 

Nos indique um filme e um livro.

Tem dois livros que gosto bastante: O milagre da manhã e O poder do hábito. Meu filme preferido é o Forrest Gump — O Contador de Histórias.

Lar.png

Perfis em Destaque

WhatsApp Image 2024-04-28 at 09.05.40.jpeg

MÔNICA ARRUDA personifica uma prova de que a autêntica elegância é um item sempre presente em todos os aspectos de um destaque social, evidência que a torna tão apreciada e requisitada nos mais importantes eventos e reuniões de Fortaleza. 

1 - A Cultura merece o devido apreço no contexto social fortalezense?
Ainda se faz muito necessária uma maior  atualização da sociedade local em relação às atividades culturais.

 

2 - Qual a importância da Internet no mundo atual?
O lado positivo das redes sociais se encontra no mérito de possibilitar conexões mais rápidas entre as pessoas, sobretudo em casos de emergência.

 

3 - Cite um livro que a impressionou profundamente.
Arquipélago Gulag, de Alexander Soljenitsin, pelo brilhante estilo e contundente mensagem em favor da liberdade.

 

4 - Uma canção que a marcou.
My Way, na excelente interpretação de Frank Sinatra. Letra e melodia se equivalem em beleza e emoção.

 

5 - Sua viagem para sempre inolvidável.
Volta ao mundo por quatro continentes, em 1976. Inesquecível.

 

6 - Momentos mais preciosos de sua vida.
O nascimento de cada filho. Nenhuma outra emoção se compara.

Lar.png

Em busca de uma vida

mais saudável e leve

Por Kelly Garcia

Nossa entrevistada da semana é a médica endocrinologista Graziela Bastos Ribas de Aguiar Vasconcelos. Graduada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), é membro  da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e possui o título de especialista nessa área. Hoje, ela tem seu foco de atuação em diabetes, emagrecimento e alterações da tireóide. Confira uma conversa leve e informativa sobre esses temas na nossa entrevista deste domingo.

Como você optou pela Medicina como caminho profissional? E como a Endocrinologia cruzou o seu caminho?
Eu sempre quis trabalhar com gente. A Medicina me encanta pela possibilidade de poder acessar, com todo respeito e amor, a intimidade das pessoas e de poder acolher, curar e consolar. O campo da Endocrinologia é amplo e lidamos com diversas doenças crônicas que são bastante influenciadas pelo estilo de vida. Trabalho principalmente com prevenção ou controle de doenças crônicas e com melhora da qualidade de vida do meu paciente. 

 

Hoje, as pessoas têm, cada vez mais, buscado ter uma vida saudável. E nessa busca, está o emagrecimento. De que forma os hormônios influem para ajudar ou atrapalhar essa jornada?
A obesidade é uma doença crônica que atrai outras doenças, como diabetes, hipertensão, hipercolesterolemia (“colesterol alto”), câncer, entre outras. Sua incidência vem aumentando bastante nas últimas décadas. Fico feliz que a população está acordando para isso e que estamos debatendo cada vez mais esse tema: aqui estamos falando de saúde, e não de estética. O indivíduo obeso apresenta uma série de alterações metabólicas e hormonais que dificultam a perda de peso, por isso seu tratamento é tão desafiador (e ao mesmo tempo tão gratificante)!

 

Alguns profissionais de saúde têm indicado, de forma irresponsável, alguns medicamentos para emagrecer que, muitas vezes, têm outras funções, como é o caso de um conhecido medicamento indicado para diabetes. Quais os riscos disso para o paciente?
O tratamento medicamentoso da obesidade, quando bem indicado, pode ajudar bastante o paciente a controlar essa doença. Ele não deve ser feito de forma isolada: mudanças no estilo de vida são fundamentais para que consigamos alcançar um emagrecimento efetivo e sustentável. Como qualquer tratamento medicamentoso, existem indicações e contraindicações que devem ser respeitadas para que os riscos não superem os benefícios. A ajuda de um profissional qualificado e com experiência no assunto é imprescindível para o sucesso do tratamento. 

 

É importante fazer um acompanhamento também com um psicólogo nessa jornada por ter uma vida mais saudável?
Havendo a possibilidade, um psicólogo pode ajudar bastante a melhorar a qualidade de vida, além de contribuir para que o paciente aprenda a manejar melhor estresse e ansiedade, pontos importantíssimos durante o processo.

 

Como você orienta os seus pacientes para iniciar a busca por uma alimentação mais saudável?
O ideal é ter uma alimentação o mais natural possível. Aumentar consumo de frutas, verduras e legumes. Melhorar a hidratação, com aporte de água de no mínimo 30 a 35 ml/Kg de peso por dia para a população geral. Evitar alimentos ultraprocessados e excesso de carboidratos simples, preferindo alimentos integrais. Nos últimos tempos, a oferta de alimentos mais saudáveis está aumentando e isso contribui para tornar nossas escolhas também deliciosas e diversificadas. 

 

Quais os seus hobbies?
Amo viajar! Também gosto muito de ler romances e livros relacionados à Endocrinologia. 

 

Nos indique uma série, um livro e um filme.
Série: “O faz nada” - uma divertida série argentina sobre um crítico gastronômico que perde sua fiel escudeira e precisa aprender a fazer até as coisas mais simples do dia a dia.
Livro: “Outlive: a arte e a ciência de viver mais e melhor” - um livro, baseado em evidências científicas, para quem deseja aprender estratégias para viver mais e melhor. 
Filme: “Vidas Passadas” - um drama coreano sobre amor, destino e escolhas.

Lar.png

Perfis em Destaque

Vale a pena ver de novo

Por José Augusto Lopes

Sempre admirada por sua natural elegância, em todos os sentidos, CONSTANÇA TÁVORA é uma presença destacada e prestigiada nos meios sociais de Fortaleza, onde sempre brilha por seu bom gosto, educação e refinada sensibilidade.

Até que ponto o convívio social contribui para um mundo mais harmonioso?
- No convívio social, pode-se trocar ideias saudáveis, criar e aprofundar amizades, transmitir os valores morais e compartilhar alegrias e realizações. Seres humanos mais felizes e conectados fazem um mundo mais justo.

 

A sociedade cearense evoluiu ou involuiu nos últimos tempos?
- Nossa sociedade evoluiu, sim. Porém, com a pandemia, as pessoas se isolaram, contribuindo para uma diminuição do convívio social.

 

Qual o seu conceito de elegância?
- Bom gosto, autenticidade e simplicidade.

 

Como colocar em prática as normas de etiqueta e bons modos?
- Com bom senso e conhecimento. É uma coisa intrínseca, que vem da própria pessoa.
 
Cite uma canção, um filme e um livro inesquecíveis.
- Canção: La Vie em Rose, com Edith Piaf.

-Filme: À Noite Sonhamos, notável cinebiografia do compositor Chopin.

-Livro: O Baile da Despedida, de Josué Montello.

Lar.png

Um entusiasta da área financeira-

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

WhatsApp Image 2024-04-06 at 13.10.22.jpeg

Engenheiro civil e de segurança do trabalho por formação, Geldo Machado optou pela área financeira onde por longos anos atuou na Instituição bancária Bancesa, de propriedade de sua família. Atualmente, é empresário respeitado do setor de Fomento Comercial, tendo fundado várias empresas da área financeira, e onde segue atuando fortemente. Nos últimos 5 anos permanece como Presidente da Instituição SINFAC CE PI MA RN, representante do setor de Fomento no Nordeste,  recentemente, foi eleito vice-presidente executivo da Federação Brasileira de Fomento Comercial (Febraf).

 Adepto de atividades físicas, Geldo possui uma rotina movimentada. Casado com Beatriz Esteves, pai de Isabela e Mirela Machado e  avô dedicado de Mateus, Beatrice, Anita e Laura, há mais de 12 anos frequenta e faz parte do Conselho deliberativo do Ideal Clube. Conheça mais sobre ele no nosso perfil.

1. Você é um dos grandes empresários da área financeira, inclusive se mantém à frente da Sinfac que agrega o Ceará e mais três Estados do Nordeste. Por que optou por essa área, tendo formação em Engenharia?

Logo após a minha formação em engenharia, abri minha própria construtora, porém continuei a trabalhar na área de engenharia do Banco Bancesa, onde, em seguida, fui convidado a fazer parte da diretoria comercial da instituição. E percebi que minha vocação seria a área financeira.

 

2. Sua família foi uma das grandes empreendedoras na área bancária, com a fundação do Bancesa, com atuação nos anos 1970, 1980 e 1990. Qual o principal aprendizado dessa época e desse negócio?

Sim, minha família foi bastante atuante na área bancária com a Fundação do Bancesa, como também nas áreas comercial e industrial, tendo forte atuação em quase todo o País. Como diretor estatutário do Bancesa e residindo em São Paulo, o maior centro financeiro do país, tive inúmeros aprendizados que hoje influenciam na minha visão como empresário e líder classista.

 

3. Com uma rotina tão corrida, como você alia exercícios para manter uma vida saudável? 

Início o dia com uma caminhada ou exercícios na academia do condomínio onde resido, o que me deixa disposto para enfrentar as atividades do dia a dia, conciliando com uma alimentação saudável e uma regular rotina de sono.

 

4. O que faz nas horas vagas?

Frequento o Ideal Clube e, regulamente, vou à praia, adoro conhecer bons restaurantes. Sempre que possível, gosto de viajar e reunir a família e amigos.

 

5. O que mudou na sua vida depois do nascimento dos netos?

Sinto-me agraciado por este presente dado a mim e minha esposa por nossas queridas filhas, e sempre que possível estou presente na vida deles, em momentos de diversão e em rotinas escolares. E com o desejo de repassar a eles ensinamentos de vida e valores, para que se tornem homens e mulheres de bem.

 

6. Você é bem atuante na diretoria do Ideal Clube. Quais são os seus projetos para o clube nesse ano de 2024?

Fiz do Ideal Clube minha segunda casa, onde frequento há quase 40 anos assiduamente, e sinto-me privilegiado em fazer parte do Conselho, muito bem presidido pelo competente amigo Alcimor Rocha, tendo na presidência executiva o experiente amigo Amarilio Cavalcante. Para o ano de 2022, temos o objetivo de dinamizar ainda mais o clube, com grandes inovações que beneficiem a todos os associados.

 

7. Nos indique um filme, uma série e um livro.

Filme: O Caso Collini 
Série: The Crown
Tendo em vista meu interesse no setor, minhas leituras seguem artigos, livros e notícias de área econômica. No momento, concluo o livro " ESC - Empresa simples de Crédito" de Antonio Carlos Donini.

Lar.png

Dinamismo e criatividade

na realização de sonhos

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Competente Mafrense Sousa -aniversariante desta semana- trocou o Direito pela realização dos sonhos dos outros, como cerimonialista. Com mais de três décadas dedicadas ao setor, Mafrense faz parte da história dos momentos inesquecíveis de muita gente. Diretor da Mafrense Eventos, com sede no bairro Edson Queiroz, atua nos segmentos de eventos, casamentos, aniversários, formaturas, corporativos e agora está lançando uma equipe para o infantil. Amante dos destinos exóticos, já visitou mais de 50 países e ama ler e ver filmes de arte.

Confira mais sobre esse grande profissional na nossa entrevista.

1-Como e quando você iniciou sua trajetória como cerimonialista?

Para contar um pouco dessa história, vou precisar voltar um pouco no tempo... Iniciei a minha trajetória no ano de 1992, quando conheci a Marilza Pessoa do Bom Bocado, o que mudaria para sempre a minha vida profissional. Para trabalhar com ela como cerimonialista, abri mão de exercer a minha carreira no Direito, a qual era recém formado e já estudava para prestar os exames da ordem. Desde então, abracei a profissão e todos os dias agradeço pela escolha que fiz. 

 

2-Quais os principais aprendizados que você teve durante todos esses anos no mercado?

O meu principal aprendizado veio com o amadurecimento como ser humano e profissional. Aprendi a dar mais valor às pequenas coisas, e maior respeito ao próximo.

 

3-Já atuou em outras áreas? Quais? Quais eram os seus sonhos de profissões na infância?

Não atuei em outras áreas, pois estava no início de carreira, e logo me vi completamente envolvido nessa área de eventos. Mas, meu sonho de criança era ser ator.

 

4-Na sua opinião, qual o principal diferencial do Mafrense no mercado de eventos?

O principal diferencial da Mafrense Eventos é o processo de se reinventar o tempo todo. A gente não para e não tem se acomodado durante esses 28 anos! O tempo todo estamos nos reinventando, pois agora mesmo, estamos iniciando uma campanha publicitária para apresentarmos as novas tendências no mercado.   

 

5-Ao longo dos anos, na sua opinião, o que mudou no ramo dos eventos e festas?

Ao longo desses anos, as festas mudaram completamente, um novo conceito foi formado. Naquela época, quando iniciei nesse caminho profissional, as festas eram planejadas pelos próprios pais. Hoje em dia, saem a cara da noivas e aniversariantes. E atualmente, as redes sociais contribuíram muito para essas mudanças.

 

6-Você é conhecido pela tradição e a competência em grandes eventos. Como conseguiu esse diferencial?

Na verdade, a gente permanecer no mercado há 30 anos, depois de uma nova geração de profissionais que surgiram nesse processo, não é fácil! Procuro, o tempo todo, novas ideias, novos caminhos. Minha cabeça não para, as coisas vão surgindo e vamos aprimorando.

 

7-Quais suas principais referências como empresário do ramo de eventos? E como cerimonialista? 

A minha principal referência vem da seriedade e do excesso de responsabilidade como encaro o meu trabalho, e com isso ganhei muitos frutos, como o respeito e a fidelização da minha seleta clientela.

 

8-Como cuida do corpo e da mente?

Do corpo, faço exercícios físicos, tenho todo o acompanhamento de um personal e nutricionista, o que não tem sido fácil, devido o que a própria rotina da minha profissão exige! Da mente, procuro meditar, assistir a bons filmes de arte, e sempre que posso, tento me desligar um pouco.

 

9-Quais os seus hobbys?

O meu principal hobby realmente é viajar! Sou apaixonado por destinos exóticos. Afinal, já são mais de 50 países, e muitos deles repetidos.

 

10-Qual o lugar mais lindo que já visitou? E para qual sempre volta pra recarregar as energias?

Budapeste, no leste europeu, é apaixonante! E o que ultimamente mais tenho retornado, é Cartagena, na
Colômbia. Já estive por três vezes. A cidade amuralhada é cheia de encantos, e as ilhas são fascinantes! 

 

11-Gosta de ler? Qual o livro mais recente que leu? E o filme? Nos indique uma série.

Simples Assim, de Marta Medeiros. Um filme marcante - Desde que Otar Partiu. Uma série da Netflix, Anne With an E, imperdível.     

 

12-Quais os seus projetos profissionais para o futuro? E pessoais?

Para o futuro, os meus projetos profissionais são cada vez mais qualificar e reestruturar sempre a Mafrense Eventos. Já os meus projetos pessoais, viajar e me reciclar por um longo tempo ainda!

Lar.png

Nutrição como caminho

para uma rotina mais saudável e rica

Por Kelly Garcia

Nosso entrevistado da semana é o nutricionista Mario Quesado. Apaixonado por seu ofício, optou pela Nutrição depois de fazer Direito. Com pós-graduação em Nutrição Comportamental e Transtornos Alimentares e Fisiologia, Metabolismo e Nutrição para o Exercício e o Esporte, também possui curso de aperfeiçoamento em Saúde e Nutrição para a População LGBTQIA+. Atualmente, cursa doutorado em Saúde Coletiva. Vem saber mais sobre sua trajetória profissional e aprender sobre como a alimentação influi na nossa saúde mental e do corpo.

Como você decidiu pela nutrição como caminho profissional? Era a sua primeira opção?

Na verdade, não. Eu me formei em Direito e fiz o mestrado nessa área, mas durante o período dessa pós-graduação, alguns assuntos despertaram a minha curiosidade, como a rotulagem dos alimentos e o direito ao acesso à uma alimentação adequada e saudável. A partir daí, a ideia de cursar nutrição começou a florescer em mim.

 

Você acredita que somos o que comemos? De que forma a alimentação contribui para sermos saudáveis ou não?

Não diria que somos O QUE comemos, mas que somos COMO comemos. A alimentação saudável deve ser baseada em contexto (e cada um tem o seu). O conceito de "saudável" tem que ser mais holístico e englobar as peculiaridades de cada paciente. Até porque, imagina só ter prescrito algo que você detesta e ter que comer isso todo dia… A pessoa acaba desistindo e ficando desestimulada a ter um hábito mais saudável.

 

A ansiedade, a depressão e a insônia são cada vez mais comuns hoje em dia. Existem alimentos que contribuem para melhorar o sono e a saúde mental? Quais?

Sim! Existem vários alimentos que podem ajudar nessas questões voltadas à saúde mental. Primeiro ponto, a inserção de alimentos mais naturais e menos industrializados mostra um potencial benéfico nessa situação. Além disso, falando de alimentos em si, a banana, por ter triptofano e o kiwi por ter magnésio, são ótimos coadjuvantes no contexto de melhora desses agravos. Lembrando que não é só comer isso que vai melhorar. O acompanhamento por outros profissionais da saúde, como psicólogos e psiquiatras, muitas vezes pode ser necessário também.

 

E para melhorar a performance nos treinos? Qual é a melhor opção?

De forma direta, carboidratos mais simples podem ajudar nisso. Uma tapioca com doce de leite e um cafezinho, por exemplo.

 

Qual a importância das proteínas, em quais alimentos podemos encontrar?

Proteínas são para o nosso corpo como tijolos são para uma construção. Elas exercem principalmente funções de sustentação no organismo. Podemos encontrar proteínas em produtos de origem animal como carnes, ovos, leite e seus derivados. Mas também em produtos vegetais, como na junção de um cereal com uma leguminosa, o nosso querido feijão com arroz, por exemplo.

 

Como suplementar a vitamina D? É verdade que a sua falta piora depois da menopausa?

A vitamina D é muito importante em diversos aspectos no nosso corpo, desde aspectos da imunidade até questões relativas à saúde dos ossos. Sim, depois da menopausa, ela se torna uma suplementação quase que necessária. Mas atenção na dosagem, pois se feita de forma incorreta, ela pode trazer prejuízos ao organismo, como problemas hepáticos. Então não é ideal sair por aí suplementando da cabeça. Buscar ajuda profissional nesse contexto é essencial.

 

Com a vida corrida, quais são as melhores opções de lanches saudáveis e rápidos?

Sanduíches naturais, preferencialmente mais caseiros, com frango e queijo tipo cottage, por exemplo. Outra opção legal é incluir frutas no dia a dia, com iogurtes naturais (aqueles que só têm 2 ingredientes), por exemplo.

 

E para manter o intestino funcionando da melhor forma possível?

Aqui dois aspectos são muito importantes, o consumo de fibras e o consumo de água. Manter-se hidratado corretamente e consumir fibras (Psyllium, farelo de aveia, a casca das frutas…) é a maneira mais indicada para garantir o funcionamento correto do intestino.

 

Como você cuida da sua alimentação e do seu corpo?

Então, eu acho que o maior cuidado que tenho com a minha alimentação, além de sempre optar por produtos mais naturais e com menor teor de gorduras saturadas, é a questão da organização. Eu sou muito grato às funcionárias da minha casa que sempre me ajudam a ter uma alimentação organizada pra minha rotina.

 

Quais os seus hobbies?

Atualmente com o curso de doutorado, os hobbies estão um pouco de lado pela falta de tempo. Mas gosto de fazer aulas de canto que me ajudam na questão da saúde vocal.

 

Nos indique um livro, um filme e uma série.

Livro - A casa no mar cerúleo;
Filme - Parasita
Série - American Horror Story (principalmente as temporadas 2 e 3).

Lar.png

Cirurgia bariátrica: Os caminhos e os

desafios para uma mudança de vida

Por Kelly Garcia

Nosso entrevistado desta semana é o médico Paulo Eduardo Campelo, formado pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 1999. Completou sua residência médica em Cirurgia Geral na Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza em 2003, onde posteriormente atuou como preceptor da Residência de Cirurgia Geral. Hoje está à frente do Centro de Tratamento da Obesidade e Diabetes do Hospital São Camilo Cura D’ars e do Instituto Amo, ambos especializados no tratamento da obesidade.

 

É vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica no Ceará (SBCBM-CE) e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica, Capítulo do Ceará.(Sobracil-CE), instituição da qual já foi presidente. Também possui pós-graduação em Gestão Hospitalar e de Organizações de Saúde pela UFC desde 2003. 

 

Em 2011, teve a oportunidade de realizar um fellowship no Institut de Chirurgie Laparoscopique de Bordeaux, na França, um renomado centro internacional de cirurgia minimamente invasiva, onde concluiu um programa avançado de cirurgia laparoscópica.

 

Na vida pessoal, adora estar em movimento, seja correndo, pedalando ou na academia e é um torcedor apaixonado pelo Fortaleza Esporte Clube. Prepare-se para uma conversa enriquecedora sobre Medicina, vida saudável, cirurgia bariátrica e perda de peso.

Como se deu a sua opção pela Medicina? E como você decidiu pela cirurgia geral e, posteriormente, pela cirurgia bariátrica?
As ciências biológicas sempre foram uma das minhas matérias preferidas na época de escola e foi justamente em uma visita ao Departamento de Anatomia da UFC, ainda no Ensino Médio, que decidi fazer o vestibular para medicina. Com quase 25 anos de formado, sei que medicina também é sobre se relacionar com as pessoas e entender sobre suas dores e buscar oferecer soluções para uma vida com mais saudável.

Durante a faculdade passamos pelas diversas especialidades médicas. A cirurgia é uma especialidade que você, além de precisar entender da clínica, utiliza da sua habilidade manual para intervir sobre o corpo doente. Mas no tratamento de pacientes com obesidade, usando a cirurgia bariátrica como recurso terapêutico, podemos além de restaurar a saúde também transformar vidas. Isso me motivou.

 

Como você faz para se manter sempre atualizado na sua área profissional?
O conhecimento médico na área da cirurgia bariátrica está evoluindo sempre. Devido à obesidade ser uma doença crônica, cirurgias e terapia medicamentosa estão buscando evoluir para o melhor resultado. Estar sempre presente em congressos tanto nacionais como internacionais é um dos caminhos, mas também realizar cursos presenciais com especialistas e equipes médicas reconhecidas e com grande experiência é o que nos permite vivenciar também a prática cirúrgica e ver os resultados.

 

A cirurgia bariátrica é sempre o melhor caminho para a perda de peso em casos de obesidade em graus mais graves? Ao que é preciso estar atento?
Atualmente pacientes com obesidade grave, caso não tenham contra-indicação, têm a cirurgia bariátrica como o tratamento mais efetivo para o controle da doença e de suas comorbidades, mas devido às diversas causas que levam à obesidade o paciente operado deve manter o acompanhamento multidisciplinar.

 

Como a pessoa deve se cuidar para se manter saudável após esse tipo de cirurgia? Por que tantas pessoas voltam ao peso de antes?
A cirurgia bariátrica sozinha não faz milagre. Tratamos a obesidade que é uma doença multicausal e o tratamento cirúrgico é a melhor forma de reduzir o peso e de ter seu controle a longo prazo. Diferente do senso comum temos um controle com a bariátrica superior a 80%. Mas sempre digo isso aos meus pacientes repetidamente. É preciso ter uma decisão por uma mudança de vida, daí a importância do suporte e acompanhamento multidisciplinar do próprio cirurgião, do nutricionista, do psicólogo e psiquiatra, do endocrinologista, do fonoaudiólogo para ajudar na mastigação, do profissional da educação física. Todos eles são essenciais no processo! É preciso seguir uma dieta equilibrada e controlada, conforme orientado pelo médico ou nutricionista. Fazer exercícios físicos regularmente, adaptados às condições de saúde individuais. Essas recomendações são importantes para se manter o controle da obesidade a longo prazo, após a cirurgia bariátrica.

Nos fale um pouco sobre a sua plataforma digital que irá auxiliar os seus pacientes?

A Academia da Bariátrica- Plataforma Digital contra a Obesidade foi criada justamente para reforçar o alerta contra a obesidade e disseminar informações sobre seus diversos aspectos, principalmente sobre o contexto da cirurgia bariátrica e suas complexidades. A ideia que eu e os profissionais que atuam na nossa equipe multidisciplinar -nutricionistas, psicólogos e educador físico- tivemos foi apresentar informações em formato de vídeo, com linguagem simples e acessível, direcionadas a pacientes, seus familiares e interessados no tratamento da obesidade, abordando questões do pré e pós-cirurgia bariátrica, como as indicações, doenças associadas, tipos de cirurgia, preparação psicológica, exames e laudos do pré-operatório e também um panorama completo do transoperatório e do pós-cirúrgico, com as dietas e cuidados. O acesso pode ser de um computador, celular, tablet ou televisão conectados com internet, neste link https://academiadabariatrica.eduvem.com/.

 

Você, além de cirurgião bariátrico, também atuou como preceptor de cirurgia geral na Santa Casa de Misericórdia, fez formação em videocirurgia em Bordeaux, na França; foi também gestor de sociedades médicas como a Cooperativa dos Cirurgiões (Coocirurge), Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica (Sobracil) e Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM). Como foram essas experiências?

Todas essas experiências foram importantes na minha trajetória pessoal e profissional. Na Santa Casa, onde também fiz residência, aprendemos que um médico, além de tratar doenças, deve desenvolver a humanidade e empatia para lidar com o outro. Isso faz muita diferença. Eu procuro sempre tratar meus pacientes e também as pessoas com quem me relaciono com atenção e educação. A experiência no Institut de Chirurgie Laparoscopique de Bordeaux, sem dúvidas, foi um diferencial na minha formação. Lá, eu pude me desenvolver de forma avançada na área da videocirurgia, principalmente na cirurgia bariátrica. E também tive oportunidade de viver na França, país onde fiz amigos especiais. Na Coocirurge, nossa atuação é como um gestor de uma especialidade médica, procurando sempre o melhor e defendendo os interesses dos cirurgiões. Já nas sociedades médicas, como Sobracil e SBCBM, estamos sempre buscando nos atualizar e trazer para os especialistas o conhecimento técnico e embasado em ciência. Um profissional, seja da medicina ou de outra área, nunca deve deixar de aprender.

 

Quais os seus hobbies?
Eu adoro esportes. Sou praticamente de corrida, já fiz 6 maratonas, faço ciclismo indoor e treino na academia também como complementação. Estou sempre correndo bem cedinho da manhã ou de noite. Cheguei a treinar thriatlon, fazendo três provas de Ironman 70.3, mas, no momento, dei uma parada.
Gosto de ficar com minha família, tomar um bom vinho e viajar. E também de acompanhar as vitórias do meu time, o Fortaleza, com minha família, seja em casa ou no estádio.

 
Nos indique um livro, um filme e uma série.
Procuro leituras que me qualifiquem. Um livro excelente que estou lendo é “Rápido e Devagar- Duas Formas de Pensar”, de Daniel Kahneman, que é Prêmio Nobel de Economia.
Um filme marcante que eu sugiro é “A Baleia”, que aborda a obesidade grave, as dificuldades da vida com a doença e o preconceito em torno da pessoa. Pelo filme, o ator Brendan Fraser ganhou o Oscar de Melhor Ator.
E séries sempre são um motivo de ficar mais perto dos meus filhos. As últimas que acompanhamos foram Lupin; The Boys e geralmente assistimos muitas relacionadas a esportes.

Lar.png

Entre a escrita, a

psicologia e o voluntariado

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Nascida na Fazenda Facão, em Quixeramobim, Célia Maria Leite é servidora pública federal aposentada. Psicóloga com ênfase em oncologia, é mãe de duas filhas e avó de um neto. Escritora, pesquisadora, poeta, artista plástica e ceramista. Coautora de 54 livros. Com 4 livros solo, suas obras foram expostas na 90ª, 91ª e 92ª Feira de Livro de Lisboa no Stand/Brasil, a convite da Rede Sem Fronteiras. Sócia efetiva da Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil/AJEB-CE também é correspondente do Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais/InBrasCI (Rio de Janeiro-Brasil). É também acadêmica efetiva da Academia Internacional da União Cultural (Taubaté-Sao Paulo-Brasil), titular de cadeira 13-CE, patronesse Maria Tomásia, da  Académie des Lettres et Arts Luso-Suisse, patronesse Princesa Isabel  e da Academia Luso-Brasileira de Letras (Rio Grande do Sul-Brasil).  Saiba mais sobre ela em nosso Perfil Semanal.

Além de escritora de 54 livros em coautoria e de quatro como autora, você também é psicóloga com ênfase em Oncologia. De que forma a escrita e a psicologia tem parceria em sua vida? Quem veio primeiro?

A leitura e o escrever vieram de forma tardia em minha vida, pois comecei a trabalhar muito jovem.
A psicologia levou-me a descobertas além do imaginário. Pesquisas e experiências me estimularam a repassar os conhecimentos através do registrar através da escrita. Como psicóloga com ênfase em Oncologia falou mais alto o desejo de servir aos mais necessitados, que faz parte da minha vida como um sacerdócio.

 

O que mais te inspira nas suas criações literárias?

O dia a dia, a alegria e a tristeza, a começar por uma pena a rodopiar no ar, são fonte de inspiração.

 

Qual o escritor que você mais admira?

Como sou membro da AJEB-CE e de várias academias nacionais e internacionais, gosto da escrita de todos. Não tenho um escritor preferido. Depois que termino de ler um livro, ele fica a passear nos meus pensamentos. Portanto, gosto mais do último livro lido. 

 

Desde 2019, você tem sido reconhecida com muitas homenagens, por todo o Brasil. Você, assim como muitos escritores, também se sentiu mais encorajada a criar e a mostrar suas artes durante a pandemia? Por que?

A professora Conceição Seabra, ao conhecer meus escritos guardados na gaveta gostou deles. Apresentou-me na Associocão das Jornalistas e Escritoras do Brasil, (AJEB-CE), onde ela é sócia. Então, em 2019, participei da primeira Coletânea. No ano seguinte, veio a pandemia e fiquei cinco meses em uma fazenda, quando dei início na escrita. Lá no Sertão Central do Ceará é onde está parte das minhas inspirações, tendo como aliada a Mãe Natureza. Devo citar também que, durante a pandemia, fiz, cursos de desenho, de meditação, de história da Arte e de violino on-line. Assisti e participei de várias lives. Entre várias publicações, na época o texto de minha autoria que emocionou-me foi cujo o título: 2020 Pede Perdão, publicado no Jornal O Estado (Ceará), folha de Opinião. 

 

Além das atividades como escritora, você também é voluntária em alguns projetos. Nos fale um pouco sobre essa experiência.

Com a orientação do Oncologista e Mastologista Profº. Luiz Porto, cofundador e presidente do Grupo de Estudo e Educação Oncologista (GERON), atuo como voluntária, orientando nas criações de associações sem fins econômicos localizadas no sertão central do Ceará (Brasil), tais como: Associação da Fonte de Vida, em Madalena e Associação Luz e Vida, “Casa de Apoio”, em Quixeramobim. Também sou coautora de vários projetos sociais.

 

Já passou por algum bloqueio criativo? Como fez para superar?

Até o momento não passei por nenhum tipo de bloqueio criativo, pois a inspiração chega de mansinho e fica passear em toda minha alma.

 

Qual a influência do sertão na sua trajetória como escritora?

Nasci em uma fazenda. Lá é o meu refúgio e recupero as minhas energias para o meu viver. O meu umbigo fui enterrado na porteira do curral do gado leiteiro.

 

QuaIs os seus projetos para o futuro?

Morar perto das minhas filhas e do neto. Continuar a escrever, viajar, estudar, pesquisar e pintar.

 

Como  ter se tornado avó mudou sua forma de ver o mundo?

Ser avó é uma dádiva divinal, é a certeza que a sua descendência continuará.

 

Você pratica alguma religião? De que forma isso contribui para sua vida?

Foi batizada no Catolicismo e sou praticante. Todas as religiões são importantes para o caminhar da humanidade e nos levar a praticar o bem e desenvolver o amor fraterno.
 
Quais os seus hobbies?

A leitura, natação e equitação.

 

Nos indique um filme, um livro e uma série.

O filme que levou à profunda reflexão foi o Império do Sol, dirigido por Steven Spielberg, baseado no romance do escritor J.G. Ballard. A série que indico é a de Maria Magdalena. Quanto à sugestão de um livro, indico o de minha autoria com o título Casa da Princesa - lendas e encantados.

Lar.png

Um entusiasta da

cultura e do bem viver

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

WhatsApp Image 2024-03-02 at 09.34.42.jpeg

De volta ao Rio de Janeiro, onde viveu por 37 anos e encontrou o grande amor da sua vida, Ednilo Soárez é um entusiasta do bem viver, que sempre está em busca de suas paixões, como a escrita, o convívio da família e os cruzeiros, mundo afora. Saiba mais sobre seus caminhos na nossa entrevista de domingo.

1. Seus pais, dona Nila e Edilson Brasil Soárez, foram exemplos de educadores e formaram várias gerações no Colégio 7 de Setembro, que você e seu irmão, Ednilton, assumiram posteriormente. Quais as principais lembranças deles? Vocês cresceram vendo as rotinas da escola?

A dedicação ao trabalho. Meu pai procurava acompanhar individualmente  cada aluno, colocando observações de incentivo ou os admoestando no desempenho pedagógico e no comportamento. Sabia o nome de todos os alunos. A mamãe, que sempre trabalhou a seu lado e dava aulas de Economia Doméstica, teve o mérito de continuar o Colégio após o seu falecimento. Chegamos a pensar que o Colégio fecharia suas portas. Mas, ela, com sua fibra, e contando com a segura orientação financeira do Ednilton e os profundos conhecimentos de didática da Ednilze, manteve vivo o ideal do Dr.Edilson. Na ocasião, tanto o Ednísio como eu trabalhávamos no Rio.

 

2. Antes de se mudar para o Rio de Janeiro, você teve uma trajetória de atuação intensa nas instituições culturais de Fortaleza, chegando inclusive a presidir o Instituto Histórico do Ceará. Nos conte um pouco sobre essa experiência e os aprendizados que isso proporcionou.

Iniciei fundando no Colégio, uma Academia de Letras dos Estudantes do Colégio 7 de Setembro e o Interact Club 7 de Setembro, ligado ao Rotary Club de Fortaleza, do qual fui seu presidente. Na Academia, acompanhava os alunos aos eventos culturais da cidade. No Interact, promovia campanha de arrecadação de alimentos, roupas e sapatos usados a favor das inúmeras Organizações de Ajuda aos Necessitados. Desenvolvia assim o interesse cultural e a responsabilidade social nos alunos. Como consequência, tornei-me conhecido nos ambientes culturais e fui sendo eleito para a Academia Fortalezense de Letras, da qual fui presidente, da Academia Cearense de Retórica, Associação Brasileira dos Escritores, do Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará, que tive a honra de presidir por dois mandatos (2013 a 2017) e, finalmente, na Academia Cearense de Letras, da qual fui Diretor. Felizmente, jamais tive nenhum oponente nas diversas instituições. Como tenho permanecido em Lisboa por longo período, fui eleito para a Associação dos Escritores de Portugal e para o PEN (Poetas, Escritores e Narradores) Clube de Portugal.

 

3. A escrita é uma das suas paixões. Como desenvolve a pesquisa para os seus livros? 

Começo a pensar em um assunto sobre o qual já tenha algum conhecimento. Como gosto muito de ler, tendo o hábito de copiar as frases mais significativas para inseri-los no texto, vou desenvolvendo o enredo de acordo com a imaginação, sem um roteiro. É interessante observar que os personagens, à minha revelia, vão sofrendo mutações, uns adquirem maior participação e outros menor.

 

4. Quais os seus autores preferidos? O que está lendo no momento?

Esta é uma pergunta difícil. Cada autor me atrai por razões diferentes. Prefiro os livros históricos, biográficos e romances, sem nenhuma predileção ideológica ou espiritual. Nunca me filiei a nenhum partido político, nem participo de nenhum credo religioso, para não perder a minha isenção de análise. Meus autores prediletos são Baruck Spinoza, Friedrich  Nietzsche, Eça de Queiroz, Machado de Assis, Ernesto Rodrigues e Teresa Martins. Estou terminando de ler "A Queda do Império Soviético" de Michael Dobbs.

 

5. Você e sua esposa, Fani, gostam muito de viajar. Como escolhem os roteiros? Qual o que mais impressionou? E pra onde sempre voltam?

Realmente, Fanizinha e eu viajávamos bastante antes da pandemia. O mérito é todo dela. É quem escolhe o roteiro buscando o que cada país tem de mais interessante em sua história e belezas naturais. Por uma feliz coincidência, amamos cruzeiros. O que mais nos chamou a atenção foram as Muralhas da China, os  safáris da África do Sul, a pesca de  Salmão no Alasca e o banho em uma lagoa aquecida por vapores de vulcão em Reykjavik, capital da Islândia. Nossa cidade predileta é New York, a "Big Apple" por sua diversidade étnica e riqueza cultural, é sempre uma atração inigualável com seu comércio, shows e museus 

 

6. Quais os seus projetos para o futuro?

No meu "Último Ciclo de uma Vida", bem vivida, pretendo:
a- Continuar amando a Fanizinha
b- Cultivar o ócio cultural 
c- Realizar Cruzeiros por esse mundo de Deus.

 

7. Você decidiu recentemente se mudar em definitivo para o Rio de Janeiro, após um período entre Portugal e Fortaleza. Por que essa decisão?

Temos 4 filhos e 6 netos, todos morando no Rio. Além disso, a Fani é carioca e eu morei 37 anos no Rio, antes de voltar a Fortaleza em 1993.

 

8. Do que mais gosta em Portugal? E em Fortaleza?
Em Portugal, aprecio sobremaneira:
a- a Segurança
b- os Amigos
c- os belos arredores
d- a diversidade culinária
Em Fortaleza:
a- Os meus irmãos e sobrinhos
b- Os amigos das Instituições Culturais às quais pertenço: a Academia Cearense de Letras e o Instituto do Ceará.

 

9. Como cultiva a espiritualidade? 

Diante da magnitude do Universo, sinto-me de acordo com a Bíblia "um germezinho de Jacó" (Isaias 41:14). Além do que, de acordo com Bertrand Russel: " O homem é um insensato, Não sabe de onde veio e nem para onde vai". Não sou Ateu, mas não pertenço a nenhuma religião. Acredito de acordo com Voltaire: "No Deus que criou os homens e não no Deus que os homens criaram". Posso intitular-me como "Transcendentalista Panteísta" , infelizmente precisaria de um espaço muito maior para tentar explicá-lo.

 

10. Nos indique um filme e uma série.

Como sou um tradicionalista, o filme que nunca esqueci foi " Suplício de uma Saudade", mas não tenho o hábito de assistir a séries.

Lar.png

Ethel Whitehurst

Criatividade com amor!

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Na primeira impressão, sente-se o impacto da beleza física, imune ao passar dos anos. Depois vem a agradável surpresa do caráter irretocável emoldurado pelos encantos físicos. Por fim, a descoberta da dinâmica e criativa empresária de pulso forte que revolucionou a história do artesanato cearense, com sua visão de extraordinária sensibilidade. Estamos falando da nossa entrevistada de hoje: Ethell Whitehurst.

1) Como a carioca Ethell absorveu tão bem o espírito da cearensidade? 

Minha mãe Yara vinha a Fortaleza comprar enxovais e bordados para vender no Rio. Até que as grandes amigas Zuíla Teixeira de Menezes e Dirce Bonavides Borges a incentivaram a morar aqui.

 

2)Como aprimorou sua versátil e criativa vocação?

Estudei em colégios de freiras, onde aprendi a costurar, pintar e bordar. No Colégio da  Imaculada Conceição, já em Fortaleza, dividia meu tempo com o desenho de camisolas. Que eram bordadas a mão pelas artesãs interioranas. Assim foi nascendo a paixão.

 

3) E a Yamor da Ethell, surgiu como?

Em 74, iniciei a produção de blusas com bordados e rendas, que me levou a abrir a Yamor da Ethel, próxima ao Ideal Clube. Uma turista americana encantou-se e passou a divulgar meu trabalho nos Estados Unidos. Foi quando ampliei minha criação para artigos infantis além da cama, mesa e banho.

 

4-Sinônimo de arte, beleza e memórias afetivas, o recém-inaugurado Baú da Vovó Espaço Vintage já supera expectativas? 

O espaço vem se destacando-se por belas e variadas opções em móveis, pinturas e demais antiguidades de luxo, além de ser uma marca inovadora, que reúne arte, cultura e solidariedade em um único lugar.. “Eu e minha sócia, Marcília Tavares estamos muito felizes em dar início a esse empreendimento, principalmente com espaço para os produtos produzidos pelas participantes do “Terrartesã”, que enriquece ainda mais nosso catálogo e nos possibilita garantir ainda mais qualidade aos nossos clientes. A loja está linda para receber todos”. A loja está localizada no Piso L3 e funciona de acordo com o horário do shopping.

 

5)Teve algum apoio que deseje citar?

Participei de várias feiras nacionais e internacionais. A convite de D. Renata Jereissati, esposa do então governador Tasso Jereissati, passei a compor a equipe oficial de designers, mantendo contato com dezenas de grupos de artesanato das mais diversas tipologias; crochê, labirinto, renda de bilro, além de materiais como palha de carnaúba cipó, utilização de tecelagem. Sempre acreditei na moda feita a mão.

 

6)Entre as muitas justas honrarias recebidas, poderia nominar algumas?

Sim, sem demérito de outras, honrou-me bastante o convite para a consultoria do Sebrae no nordeste, quando tive oportunidade de repassar experiência e conhecimento para milhares de pessoas. Então fundei, com minhas filhas Kelly e Karine, a Whitehurst Consultoria. Minha família é tudo na minha vida.

 

7)E seu grande trabalho como voluntário social? 

A convite de D. Annette de Castro participo do grupo mulheres do Brasil. Sinto-me muito feliz em ajudar os mais carente, usando os dons que Deus me deu e ensinando-lhes chances de empreender, crescer na vida e também, dignificar nosso país. Fazer o bem faz bem.

 

8)Defina em suas palavras Ethel Whitehurst

Uma mulher que cultiva a criatividade, perserverança, resiliência e muto trabalho. Amo meus quatros filhos, netas, bisneto, noras, genro e marido. Sou incansável e parto para novos empreendimentos: o Bau da Vovó, um espaço vintage, com todos os mimos antigos que esse nome implica, ao Yamor da Ethel.  

Do sucesso das minhas realizações preservo: Gratidão à minha mãe Yara pelo exemplo de coragem e empreendedorismo e o amor em tudo que faço.

Lar.png

Decoração para produzir sonhos

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Priscila Henriques Capelo sempre foi uma apaixonada por decoração. Na adolescência, se divertia escolhendo a combinação mais harmoniosa para seus scrapbooks e amava fazer reformas em casa. Hoje, a esposa de Cipriano de Carvalho Capelo e mãe de Pedro e Beatriz, usa toda a sua criatividade para dar os tons do encanto aos aniversários infantis. Além de decoradora, Priscila Capelo também é formada em Administração de Empresas pela Universidade de Fortaleza (Unifor), com MBA em empreendedorismo, pela BBS, em parceria com a Bolsa de Valores. Vem se inspirar com a sua história. 

1-Sua mãe é uma das mais conceituadas fisioterapeutas de Fortaleza. Você chegou a querer ter a mesma profissão que ela? Como descobriu essa veia empreendedora?

Na verdade, minha mãe sempre foi e é uma grande inspiração pra mim... em todos os aspectos, mas nunca despertou em mim as habilidades manuais para a profissão, apesar de admirar demais.

 

2-Como surgiu a ideia de trabalhar com decoração?

Eu sempre amei, desde nova gostava de arrumar tudo. Sempre tive o olhar muito atento para tudo com decoração... lembro que quando voltava das viagens, eu a surpreendia com alguma reforma em casa! No meu casamento, cuidei de tudo, juntamente com um grande amigo e decorador, o Willfrid Mendonça, que me ajudou a colocar tudo em prática para o grande dia. Lembro que, naquela época, há 13 anos, meu pai me disse que eu deveria trabalhar com festas. Os anos se passaram, vieram os filhos, e eu sempre cuidei de todas as festinhas. Adorava planejar, pensar, criar, e daí nasceu o grande desejo de trabalhar no ramo.

 

3-Quais as delícias e os desafios de se trabalhar com o universo infantil?

As delícias com certeza são ver os pequenos com um sorriso largo no rosto agradecendo e curtindo sua festinha! Não tem pagamento mais bem remunerado! Já os desafios são sempre tentar agradar a todas as clientes, porque sei que todas sonham com o grande dia, e essa responsabilidade está toda em minhas mãos, para fazer acontecer. 

 

4-Como você aprimora seus conhecimentos na sua área de atuação?

A busca de conhecimentos novos é eterna... Procuro sempre me atualizar e buscar coisas novas com cursos na área e administrativos também.

 

5-Quais os seus hobbys?

Adoro encontrar as amigas, rir e jogar conversa fora.

 

6-Qual o lugar mais lindo que já conheceu?

Itália e Paris.

 

7-Qual o lugar onde sempre volta com a família para aproveitar as férias?

Com certeza, os Estados Unidos, aonde minhas irmãs e meus sobrinhos moram.

 

8-Como concilia as atividades como empresária e como mãe?

Não é fácil, é desafiador, minha vida é agitada. Na semana, trabalho e sou mãe, professora, motorista... No final de semana, fico mais ausente durante o dia, mas quando chego em casa tento sempre fazer programações em família.


9-Tem algum santo de devoção? Qual sua relação com a religiosidade?

Cresci dentro de Igreja Católica com meus pais sempre muito religiosos... Tento seguir seus ensinamentos no dia a dia. Tenho uma grande devoção a Nossa Senhora. Já tive uma experiência marcante em minha vida com ela.

 

10-Nos conte um sonho ainda não realizado. E um momento emocionante que nunca esquecerá.

Sou uma pessoa de muitos sonhos, muitos ainda a realizar... mas sou muito grata a Deus pelo que Ele me deu e me dá! Nada a pedir, só agradecer!
O momento mais marcante, com certeza, foi o nascimento dos meus filhos.

 

11-Qual seu exemplo de mulher? E de profissional?

Com certeza, a minha mãe, Anna Christina Henriques, ela soube sempre nos dar o exemplo de mulher batalhadora, conquistou um lindo nome na sua profissão, e, além de tudo, foi uma mãe exemplar. Com ela, aprendi que mãe tem sempre um tempinho pra tudo e ela sabe ser tudo de melhor ao mesmo tempo. Eterna gratidão por tudo que ela fez e faz por mim.

Lar.png

Arte como propósito de uma vida

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Dodora Guimarães Esmeraldo (Maria Auxiliadora Guimarães Esmeraldo) respira arte desde o início de sua trajetória profissional. Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará, é também especialista em Teorias da Comunicação e da Imagem pela mesma Universidade. Trabalhou como redatora e diretora de RTVC em agências de publicidade de Fortaleza de 1974 a 1985. Criou, em parceria com Sérvulo Esmeraldo, a Xisto Colonna Edições de Arte, em 1982 e dirigiu a Arte Galeria, em Fortaleza-CE, entre 1983 e 1993, um dos espaços pioneiros voltados para difusão da arte contemporânea, através de exposições individuais, coletivas e temáticas, edições e publicações. 

 

Ainda dirigiu o Centro de Artes Visuais Raimundo Cela, da Secretaria da Cultura e Desporto do Estado do Ceará, entre 1994 e 2006. Foi Curador-Adjunto do Programa Rumos Visuais, Itaú Cultural, São Paulo – SP, 1999/2000. Vem saber mais sobre essa grande incentivadora da arte e cultura em nosso perfil semanal.

Como você se sente ao ter sido escolhida para receber o Prêmio RioMar Mulher?

Recebo a indicação com muita alegria. Com muita satisfação. Ser reconhecida pelo que eu faço todos os dias reforça o meu amor e a minha vontade de colaborar na construção de um mundo melhor, mais justo e humano.
Agradeço a lembrança e louvo a iniciativa do Prêmio. As mulheres são muito merecedoras de gestos como esse. Simbólicos e de grande relevância para a vida comunitária.

 

Apesar de você trabalhar há várias décadas como curadora de arte, você é formada em Comunicação e iniciou sua trajetória profissional com publicidade. Como se deu essa mudança de área?

A publicidade é uma atividade criativa, sobretudo, na área que eu atuei - a criação. Devo dizer que a minha escolha de curso universitário e profissional já denota esta vontade de invenção, sempre tão presente na minha vida. Portanto, a passagem de uma atividade para outra se deu naturalmente. Digamos que eu apenas me aprofundei mais no mar da invenção, explorando com vigor o campo das artes plásticas e visuais. Evidentemente que o Sérvulo Esmeraldo tem papel importante nesta mudança. E sou muito agradecida a ele. Foi uma decisão acertada e que me abriu um novo horizonte. Tanto, que de um modo ou de outro, eu enveredaria pelas artes com absoluta certeza. Uma questão de vocação mesmo.
 
Sabemos da importância que o grande artista plástico Sérvulo Esmeraldo teve em sua trajetória, como companheiro e parceiro na vida e nas artes por tanto tempo. Como os seus caminhos se cruzaram?

Os nossos caminhos se cruzaram pelas vias da arte mesmo. Eu sempre falo que eu me apaixonei pela obra do Sérvulo antes de conhecê-lo. É verdade. A força e a singularidade do trabalho dele me encantaram. Eu sou fascinada pela inteligência humana. Claro que eu ia me apaixonar por ele. Era só eu cruzar com ele pra centelha raiar. Foi isso o que aconteceu. Nos unimos no nosso primeiro encontro. Fácil, não é?! Dali partimos para uma vida a dois, de trabalho, de companheirismo, de luta, de aventuras. De dias fáceis e de dias difíceis, como em todos os casamentos. Somos como as pedras que para se alinharem se desacomodam também. A vida tem sido muito generosa comigo. O privilégio de partilhar este planeta na companhia de um ser humano genial como o Sérvulo Esmeraldo foi uma dádiva.

 

Como é a atuação do Instituto Sérvulo Esmeraldo hoje? Quais são os projetos em andamento?

O Instituto Sérvulo Esmeraldo foi criado para preservar, difundir e trabalhar a obra do Sérvulo. Mas não só. Mas, também, pra fomentar e promover a arte contemporânea, contribuindo para o seu desenvolvimento, sobretudo em nosso Estado. Faz parte deste projeto o Festival Sérvulo Esmeraldo que realizamos no Crato, em parceria com a Universidade Regional do Cariri - URCA, o Instituto Cultural do Cariri - ICC e da Prefeitura Municipal do Crato, por meio da Secretaria da Cultura. Este projeto tem o apoio institucional da Secretaria da Cultura do Ceará (Lei do Mecenato) e os nossos agradecimento à Enel. Atualmente temos em curso o Projeto de Implantação do Acervo Documental de Sérvulo Esmeraldo, composto de mais de 10 mil documentos, entre projetos de esculturas e gravuras, pinturas, maquetes, matrizes de gravuras, fotografias, recortes de imprensa, correspondências, catálogos, a biblioteca, etc. Este trabalho tem o apoio da Secretaria Especial da Cultura e é patrocinado pela Cagece, Banco do Nordeste, Cegas e Ecofor Ambiental. É um trabalho de muita monta e que contém chaves importantes para a pesquisa e a compreensão da obra do Esmeraldo, sobretudo os trabalhos realizados antes e depois do seu período europeu. O Instituto Sérvulo Esmeraldo é um organismo cultural que contribuirá para a vida cultural de Fortaleza e do Brasil. Teremos exposições contínuas do Sérvulo, exibidas no seu espaço de trabalho, no seu atelier museológico. Nossa previsão é de que seja um espaço vivo e dinâmico. O Projeto do escritório Marcus Novais Arquitetos é de uma beleza e de uma simplicidade muito ao estilo do nosso artista inspirador. O Instituto Sérvulo Esmeraldo é uma janela para um mundo novo. Esperamos ter a atenção e a colaboração da cidade, das instituições públicas e privadas. A primavera há de chegar.

 

Quais os seus hobbys?
Gosto de passear, de ver filmes,  de conversar, de rir alto e largo, de viajar e sonhar acordada.

 

Qual o lugar mais lindo que apreciou no mundo?
Cidades no Piauí; Machu Picchu e Cusco, no Peru.

 

Nos deixe uma dica de livro, de série e de filme.
Livro: Poema Sujo, de Ferreira Gullar; Série: O Povo Brasileiro, de Isa Grispum Ferraz; Filme: O Barco, de Petrus Cariry

 

Você esteve na curadoria de muitos equipamentos importantes para a cultura do Estado, como o Memorial da Cultura Cearense, no Dragão do Mar e mais recentemente, do Sobrado Dr. José Lourenço. De que forma vê a repercussão e o impacto dessas mostras para o público do nosso Estado. Você nota alguma mudança no sentido da formação de plateia para a arte em Fortaleza e no Ceará como um todo?

Eu quero ressaltar aqui o papel desempenhado pela Arte Galeria em Fortaleza, nos anos 80, que no dizer de Gilmar de Carvalho, "foi um divisor de águas" na história da arte cearense. Pra começar, foi a primeira galeria voltada para a promoção da arte contemporânea no Ceará. No endereço da Rua Barão de Aracati 80, na Praia de Iracema, passaram alguns dos mais importantes artistas brasileiros, como Regina Silveira, Guto Lacaz, Alex Vallauri, Leonilson, Krajcberg, Leda Catunda, dentre outros. Lançamos artistas cearenses, fizemos edições memoráveis. Realizamos exposições monográficas, temáticas e retrospectivas ousadas, de muita qualidade.

A minha experiência na esfera pública foi importante, muito enriquecedora do ponto de vista profissional e humano.  Ampliei meu raio de interesse nas artes, me aproximando muito da arte popular, que vi como uma possibilidade para a valorização da arte cearense, de reconhecimento das matrizes da nossa cultura. E isso funcionar como ganho para as artes de modo geral. Criamos o Projeto Abolição, que apoiou intensamente a produção contemporânea. A ideia de ativação do Centro de Artes Visuais Raimundo Cela não vingou, posto que não tínhamos sequer uma sede onde pudéssemos realizar um programa de fomento e promoção. Tivemos, sim, dois salões de exposições muito bons no Palácio da Abolição, onde funcionava a Secretaria da Cultura do Estado. Por maior que fosse a boa vontade dos Secretários e equipes, atuávamos numa repartição pública, não havia espaço para um centro exclusivo de arte. Mesmo assim, no quesito exposições nos saímos bem, com a realização de boas exposições   .

No Palácio da Abolição realizamos a primeira exposição do artista Maciej Babinski no Ceará, em 1995. Atuamos também como exibidores de exposições itinerantes no País, por meio de parcerias com a Casa de Cultura Alemã, com consulados e instituições culturais. Vou fazendo a minha parte, trabalhando duro e acreditando que contribuo para um mundo mais sensível aos valores humanos.

Lar.png

Versatilidade e competência

em dois caminhos profissionais

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Com 25 anos de uma carreira focada em eventos particulares, o DJ Itaquê se tornou indispensável nas melhores e mais personalizadas comemorações. Dos casamentos a eventos corporativos, Itaquê alia bom gosto e faro musical ao estilo de cada cliente. Misturas, influências, inovações e produções fora do comum somados ao aprovado profissionalismo são o segredo para a tão sonhada festa perfeita. Além de ter um caminho de reconhecimento como DJ, Itaquê Figueiredo também é nutricionista e ama testar novas receitas de pudim nas horas vagas.Saiba mais sobre ele no nosso perfil semanal.

1-Você é um dos profissionais mais versáteis que conhecemos e admiramos. Depois de se formar em odontologia, ser um dos DJs mais badalados de Fortaleza, resolveu se reinventar e investir na nutrição. Nos conte um pouco sobre esses três caminhos.

A nutrição foi minha primeira faculdade (mas não cursei naquela época) antes da Odontologia. Reativei esse desejo e aos 40 anos decidi retomar.

 

2-Na nutrição, além de atuar no consultório, você ainda tem uma receita especial de pudim que faz muito sucesso entre os seus amigos. Você sempre gostou de cozinhar ou é um prazer recente? Como chegou nessa receita top de pudim?

Desde criança eu gostava de cozinhar. A faculdade de nutrição me aproximou mais ainda. O pudim era a sobremesa que meu pai pedia na sexta quando almoçava na minha casa. Aí esse amor doce eu compartilhei com todos. 

 

3-Como você faz para se manter sempre atualizado como DJ? E como nutricionista?

Como Dj, temos grupos de amigos e pesquisa. 
Como nutricionista eu tenho participado de congressos, pós graduação, cursos. 

 

4-É possível comer o que se gosta e manter o corpo saudável?

Claro!!! Comida é afeto, aconchego. Por que não comer?  

 

5-Quais os seus hobbies?

Adoro ouvir música, gosto de terra, planta, sítio, comer fruta no pé da árvore, assistir clipes de música, Teatro, viagens, festas, baladas e boites. Sou eclético! 

 

6-Como cultiva a espiritualidade? Tem algum santo de devoção?

Sou católico, participo de grupo de oração, assisto à missa. No entanto não posso dizer que tenho um santo de devoção.

 

7-Infelizmente, você teve uma grande perda familiar, recentemente. Nos fale um pouco sobre a influência do seu pai, Iraguassu Teixeira, em sua vida.

Meu exemplo, a referência na vida. É uma grande perda pra mim e para todos que conviviam com ele. 

Lar.png

Uma entusiasta da harmonia e do

belo na decoração de interiores

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Arquiteta de formação, designer de Interiores e empresária de sucesso à frente da loja de decoração Estofaria  Ambientação e Design, Cláudia Alexandre está sempre em movimento. Seja nos projetos profissionais, na família, nas atividades da igreja ou nos hobbys, a nossa entrevistada ama criar. Vem conferir!

1. Como surgiu a ideia de empreender com mobiliário? Vocês têm quanto tempo de mercado? Como era o setor na  época? 

Queria muito trabalhar na minha profissão, fiz Design de Interiores e depois entrei como graduada em Arquitetura. Sentia a necessidade de montar uma empresa que desse continuidade aos meus projetos de interiores e dos demais profissionais, como também que executasse com responsabilidade, excelência no acabamento e cumprimento dos prazos. Foi assim que há 16 anos fundei a Estofaria Ambientação e Design. Foi um sucesso quase imediato, já que o mercado era bastante deficitário nessa época.

 

2. Quando vocês começaram a atuar com design de estampas e reforma de móveis antigos? Quais são as suas inspirações? 

Dia a dia, fomos nos especializando de acordo com a demanda do mercado em reforma e fabricação sob medida de estofados, cortinas e colchas de cama. Atendemos a todos os estilos, desde os clássicos até os contemporâneos. Lógico que um ou outro nos desafiam mais. De acordo com a complexidade, às vezes acabam se tornando nossos "xodós", pois conseguimos através de um trabalho preciso e bem feito, resgatar toda uma história de família e a satisfação é bem maior. A ideia de lançarmos no mercado o serviço com estampas exclusivas deu-se a partir da parceria  @estofaria com o @bossaabessa , "ateliê de estampas" comandado pelas arquitetas Nathália Alexandre Ponte e Ticiane Lopes. A necessidade de criar e ousar faz parte da minha personalidade e aliado ao bom gosto dessa dupla incrível, decidi dar o start nesse segmento.

 

3. Quais são as inovações da Estofaria em comparação as outras lojas no mesmo segmento? Quais os planos para o futuro na empresa?

Um grande diferencial foi investir há oito anos em uma sede própria com infraestrutura confortável para nossos clientes, como também numa oficina com maquinário especializado e uma diversidade de tecidos e materiais em nosso estoque. Um outro detalhe importante é que eu, como Designer de Interiores disponibilizo aos clientes da Estofaria Ambientação e Design uma assessoria técnica, deixando-os bem mais seguros e satisfeitos.

 

4. Nos conte um sonho ainda não realizado profissionalmente e na vida pessoal?

Me considero uma pessoa totalmente realizada e feliz, quem me conhece sabe. Tenho Deus como fonte inspiradora na minha vida, sou esposa, mãe e vovó dedicada, tenho uma família grande e unida, cercada de muitos amigos e como profissional, adoro o que faço!

 

5. Qual seu hobby? 

Sempre gostei de trabalhos manuais. Não consigo ficar parada. Entre as minhas habilidades, posso destacar o desenho e a pintura, como também os bordados com pedrarias. Atualmente, estou começando aprender a tocar teclado. Tudo vale para aliviar o estresse, inclusive uma boa academia de ginástica. 

 

6. Qual o lugar mais lindo que já visitou? E pra onde você volta pra sempre recarregar as energias?

Já viajei e conheci vários lugares inesquecíveis como Vancouver, Ilha de Vitória no Canadá, os Grandes Lagos Andinos, Las Vegas (a Disney dos adultos), Caribe, Ilhas Gregas e muito mais, mas como a Capadócia na Turquia e a Terra Santa em Israel não dá para comparar. Quando estou na terrinha meu local de refúgio e descanso é o nosso apto de praia na beira do mar.

 

7. Pra você, família é...

Família é a minha família, amo de paixão, às vezes digo que Deus é exagerado comigo.

 

8. Que conselho daria para quem pretende empreender com mobiliário e decoração?

Como em qualquer segmento, eu diria que para começar um novo negócio hoje, é preciso muita dedicação, planejamento e "pouco risco".

 

9. Você costuma viajar para outros Estados e para fora do País em busca de inspiração para suas peças?  Quais são as principais feiras que você acompanha?

Uma das coisas que me fez crescer profissionalmente foram os conhecimentos que adquiri nas viagens que fiz, não só em feiras de decoração e novos negócios, como também as pesquisas de mercado que aproveito para fazer, mesmo quando estou viajando a lazer.

Lar.png

Vocação para liderar e empreender no Turismo

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de Fortaleza, Enid Câmara é a nossa entrevistada da semana. Nova presidente da Abeoc Brasil, é uma profissional especializada em organização de eventos, com destaque em sua carreira desde 1993, tem formação adicional no Programa de Desenvolvimento Gerencial – PDG Turismo pela Universidade Fluminense-RJ, Enid é reconhecida no setor de Turismo e Eventos com prêmios como Mulher Empreendedora pelo SEBRAE Nacional e Destaque Empresarial 2005 de Melhor Organização de Eventos no Ceará.

 

Ao longo de sua carreira, foi homenageada por entidades renomadas e ocupou cargos de destaque, incluindo a presidência da ABEOC Ceará (Gestão 2018-2023) e tornou-se a primeira mulher nordestina e cearense a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Eventos e Turismo em 2011. 


Enid é a atual presidente eleita da Associação Brasileira das Empresas de Eventos - ABEOC Brasil, sua posse aconteceu no último dia 8. Como CEO da Prática Eventos, Enid organizou mais de 1.600 eventos, consolidando sua trajetória marcada pela maestria e dedicação. Confira uma conversa sobre eventos, profissionalismo e realizações.

Você tem uma história com o turismo cearense e o mercado de eventos. Nos conte como os seus caminhos se cruzaram com esses setores. Você já fazia eventos na adolescência?

Tudo iniciou em março de 1993, quando entrei como estagiária na Prática Empresarial, que era gerida pela mente brilhante e visionária do Roberto Matoso (In memoriam). Eu nunca tinha organizado eventos antes e estou há 28 anos nesse setor, são mais de 1.600 eventos promovidos/organizados, quem entra nesse universo fantástico dos eventos costuma gostar e permanecer por muito tempo.
 
Como surgiu a ideia de empreender com a Prática Eventos? Qual o trabalho mais desafiador que vocês já pegaram?

Em janeiro de 1997, transformamos a área de eventos da Prática Empresarial em uma empresa focada somente na promoção e organização de eventos (Prática Eventos) da qual me tornei sócia minoritária. 
Sobre o trabalho mais desafiador, todos os eventos são únicos e tem em si particularidades e desafios próprios, mas acredito que o mais desafiador foi organizar um evento que precisaria de no mínimo 6 meses para sua produção, e o cliente nos  contratou para organiza-lo com o prazo de uma semana e com um feriado no meio, e graças ao empenho de toda uma equipe envolvida ele aconteceu com sucesso e nos trouxe inúmeros aprendizados.

 

Você foi escolhida para a grande missão de presidir a Abeoc Brasil. Como você reagiu à essa boa notícia?

Por indicação e a convite da presidente Fátima Facuri, grande empresária do Rio de Janeiro, que implementou vários projetos nacionais, fui eleita por unanimidade, como a primeira representante do Ceará na liderança da Abeoc Brasil. Minha posse aconteceu na tarde do dia 8 de janeiro.

 

Quais são os projetos que você pretende desenvolver à frente da entidade?

Em 2024, pretendo iniciar uma gestão focada no fortalecimento do associativismo, contando com uma diretoria bem diversificada, com representantes de todas as regiões do país.


Quais são seus hobbies?

Trabalhar e ajudar as pessoas é minha melhor e maior diversão. Quando não estou trabalhando, estou com minha família ou contribuindo com as causas do associativismo e do voluntariado.

 

Como é a sua relação com a espiritualidade? Tem algum santo de devoção?

Sou devota de São Francisco, sou católica e adepta do autoconhecimento através de terapias, constelação. como forma de se tornar uma pessoa melhor a cada dia. 

 

Um sonho profissional e pessoal ainda não realizado.

Profissional: investir em novos nichos de mercado; Pessoal: morar um tempo fora do país.

 

É de qual país a sua gastronomia preferida?

Italiana.

 

Qual o lugar mais lindo que já visitou? 

Paris.  

 

E pra onde sempre volta?

Para minha casa. Minha Rocha Lima. 

 

Pra você, família é...

A base de tudo, meu porto seguro.

Lar.png

Aromas para trazer bem-estar e sucesso nas vendas

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

Nossa entrevistada da semana é a empresária carioca Débora Moreira, que idealizou a Débora Moreira Fragrances, especialista em perfumaria e marketing olfativo. Cearense de coração, ela adotou Fortaleza ainda na infância, pois veio para o Ceará com a família aos cinco anos. 

 

Graduada em Direito pela UFC, optou por abdicar da carreira por um tempo, mas não conseguiu resistir aos encantos dos perfumes, com a essência da família mais adiante. 

 

Entre os acontecimentos marcantes da sua trajetória, estão a viuvez, que a deixou com três filhas aos 39 anos. Mas, como o destino é cheio de surpresas, encontrou em seu caminho o atual companheiro, o coronel Luiz Antônio, que também tinha três filhas. Hoje, o casal desfruta com muito amor dessa grande família, que cresceu ainda mais, com a chegada dos genros e netos. 

 

Vem conferir com a gente essa conversa leve sobre empreendedorismo, paixão e ousadia.

Além de ser empresária do ramo de fragrâncias, você também é formada em Direito. Como ocorreu essa mudança de rota profissional?

Desde muito cedo, tive contato com o universo da perfumaria por frequentar a loja do meu avô e, na sequência, do meu pai. Cursei Direito e até gostei. Porém, a paixão pela perfumaria falou mais alto e acabei me rendendo à ela.

 

De onde vem a sua paixão por essências? Que importância a sua família teve para que você optasse por esse caminho?

Minha família, principalmente, meu pai, teve uma importância relevante para essa escolha. Observava muito o que ele fazia, como fazia, o que sentia. Apesar de ser tudo muito “rudimentar" e com pouquíssima literatura sobre o assunto, conversávamos muito e ficávamos “descobrindo” notas nessa ou naquela fragrância. Era quase uma brincadeira, mas também uma relação de aprendizado, companheirismo e extremante prazerosa.

 

O que é o marketing olfativo? De que forma as fragrâncias podem ajudar nas vendas e no bem estar dos clientes?

O Marketing inclui estratégias definidas para as vendas e a comunicação, com a finalidade de criar valores e chamar a atenção do cliente, gerando um relacionamento lucrativo para ambos. Já o olfativo diz respeito especificamente ao sistema olfativo. Dessa forma, construimos um conjunto de estratégias capaz de conectar marca e cliente, através da fragrância. Porém, não se trata de qualquer “cheirinho", mas sim aquele específico, pensado, estudado, criado e desenvolvido para despertar desejos e sensações. 

Qual o diferencial dos seus serviços?

O que mais prezamos e a excelência e a qualidade dos nossos produtos. Entregar o melhor, com a melhor qualidade, agregado à uma perfeita apresentação, respeitando as exigências legais e a tradição de quase 100 anos de existência.

 

Como foi para você ficar viúva com três filhos? Como fez para superar esse momento difícil?

A morte prematura do meu marido foi um momento bem difícil e, mais uma vez, a presença do meu pai foi decisiva e marcante para conseguirmos (eu e minhas filhas) superar.

 

Fortaleza é uma cidade com temperatura elevada. Quais fragrâncias são mais harmônicas, por exemplo, no quesito de perfumaria?

Apesar de vivermos numa cidade de alta temperatura, ou talvez, exatamente por isso, as pessoas se perfumam muito e gostam de se sentir perfumadas. Daí, preferirem fragrâncias mais marcantes. Porém, notamos que, após a pandemia, houve uma mudança gradual nos hábitos, tanto na perfumação pessoal, como na dos ambientes, passando a optarem por cheiros mais frescos, suaves e aromáticos, que remetam ao bem-estar e ao auto cuidado.

 

E a sua espiritualidade? É adepta de alguma religião?

Sou católica, apostólica romana e devota de Santa Terezinha das Rosas, de Nossa Senhora Auxiliadora e São Miguel Arcanjo.

 

Quais os seus hobbies?

Meu hobbie favorito é cozinhar. E já adianto, em primeira mão, que teremos doces novidades. Porque cheiros e sabores estão intimamente ligados.

 

Nos dê uma dica de filme, livro e série.

Um filme - Perfume de mulher. 

Um livro - Perfume: história de um assassino.

Uma série - Outlander.

Lar.png

Um visionário das leis e dos eventos

Vale a pena ver de novo

Por Kelly Garcia

0p2a0063_1-2691916.jpg

Advogado Jardson Cruz, ao assumir a presidência do Náutico, levou sua experiência e organização como empresário do Direito para um dos clubes mais tradicionais de Fortaleza, o que transformou a entidade em um polo dinâmico de eventos importantes, como o tradicional Carnaval da Saudade, que no próximo ano (03 de fevereiro) contará com várias novidades. Conheça um pouco mais sobre ele em nossa entrevista exclusiva:

1. Como decidiu pelo Direito? Chegou a exercer outras profissões?

Sempre pensei em exercer a carreira de advogado. Apesar de possuir três graduações (Direito, Engenharia Civil e Administração de Empresas) foi na advocacia onde estou há 27 anos que me realizei profissionalmente, não obstante as outras duas formações serem de grande importância, por exemplo, a engenharia civil é relevante para o cargo que ocupo agora como Conselheiro Diretor da Arce.
 
2. O que você mais gosta na carreira de advogado? Quais são os principais desafios?

Na carreira de advogado o que sempre gostei foi de poder buscar a justiça defendendo, muitas vezes, novas teses e demonstrando junto ao julgador que o nosso cliente é possuidor de um bom direito.

 

3. Qual foi o momento de mais emoção na sua trajetória profissional? Quais os seus sonhos ainda a realizar profissionalmente?
Quando do início da minha carreira, em 1996, consegui através de uma medida judicial que o filho da Sra. Lourdes (diarista do nosso escritório) ocupasse uma das vagas do concurso público federal a qual se submeteu, sendo hoje oficial da Aeronáutica. O brilho de alegria nos olhos daquela mãe realmente foi o meu melhor honorário. Penso nesse momento em continuar realizando um trabalho profícuo como Conselheiro Diretor da Arce sempre buscando o equilíbrio entre os três atores da regulação: Poder concedente, concessionária e o usuário. Como futuro, pretendo realizar um mestrado na área de regulação. 


4. Você tem algum hobby? Qual?

Tenho como principais hobbies: viagens, leituras e praias.

 

5. Qual lugar mais o impressionou? Quais as suas praias preferidas?

No Brasil, os cânions do Rio São Francisco pela grandiosidade da natureza e no exterior, o Santuário de Fátima (Portugal) pela energia transbordante da fé. Minhas praias preferidas são a do Forte (Bahia) e Jericoacoara (Ceará).

6. Sobre as leituras, qual seu livro preferido da vida? Qual você está lendo no momento? E qual foi o último que terminou?

Livro preferido da vida: a Bíblia. Estou lendo agora "Escravidão",do autor Laurentino Gomes e o último que li foi "Propósito - a coragem de ser quem somos", do Sri Prem Baba.


6. Como se sentiu quando assumiu a presidência de um dos clubes mais tradicionais do Estado, o Náutico? Quais foram os seus principais desafios? Foi associado na juventude? Chegou a praticar algum esporte por lá?

Quando assumi a Presidência do Clube Náutico, senti o peso da enorme responsabilidade em dirigir um Clube tradicionalíssimo com imensos problemas, desde a ausência de recursos até a ausência de um setor de RH. O principal desafio, ainda estou na primeira gestão, foi de tentar equilibrar financeiramente o Clube, implantando uma gestão totalmente profissional. Hoje não devemos a nenhum fornecedor e a nenhum empregado, mantendo rigorosamente em dia todas as obrigações sociais pertinentes aos funcionários. Sou sócio do clube desde 1985 e pratiquei um pouco natação. 


7. Estamos bem próximos à realização de mais uma edição do Carnaval da Saudade. O que o folião poderá encontrar de novidade? Quais são as suas expectativas?

Teremos no próximo dia 03 de fevereiro (sábado magro), a realização do nosso LVI Carnaval da Saudade com a participação dos Transacionais e Orquestra Brasa Seis com 17 músicos, sendo homenageada a grande cantora Gal Costa. Os foliões contarão nesse ano com o excelente serviço de gastronomia do Barbras Náutico e uma decoração diferenciada. As perspectivas de público são as melhores possíveis, pois já estamos com poucas mesas no setor ouro.

Lar.png

Medicina a serviço do bem-estar e da autoestima

através dos cuidados com a saúde da pele

Por Kelly Garcia

Médica dermatologista Cinira Cruz, super requisitada em Fortaleza, une a meiguice no trato com seus pacientes aos melhores tratamentos para a saúde da pele. Amante de bons livros e viagens para conhecer museus e outras pérolas, mundo afora, está sempre em busca de se enriquecer com mais conhecimento, seja na sua área ou culturalmente. Confira mais sobre os seus hobbys, viagens e sua espiritualidade nessa entrevista exclusiva.

1. Como entendeu que queria ser médica? Foi fácil entrar na faculdade de medicina? Onde você fez? E como se vc deu a escolha pela dermatologia? 

Sempre fui fascinada pelo estudo da complexidade do ser humano. Optei pela Dermatologia porque a pele humana é palco das mais diversas emoções, refletindo os sentimentos reais e mais obscuros da mente. Nunca é fácil passar para medicina, estudei com afinco, pois só existia o curso na UFC e passei logo que terminei o ensino secundário. Sou graduada em Medicina pela UFC e em Administração Hospitalar pela UECE. Fiz pós-graduação em Medicina Interna e Dermatologia pelo Instituto de Dermatologia Professor Rubem Azulay pela PUC/RJ na Santa Casa/RJ, além de estágios em Cosmiatria no Hospital das Clínicas José de San Martin em Buenos Aires e no Hospital do Servidor Público Municipal  de São Paulo.

 

2. Quais são os desafios e as delícias de ser médica e dermatologista? 

Os desafios são muitos, mas é gratificante poder ajudar as pessoas fazendo o que gostamos e, na Dermatologia, além das patologias, constatamos que cuidar bem da pele não pode ser encarado como um simples ato de vaidade, mas sim um requisito básico de saúde, imprescindível para melhorar a autoestima e estabilidade emocional dos indivíduos. 

 

3.Como você faz para se manter atualizada na sua profissão? 

 Participo de congressos e nesse momento de pandemia, procuro participar de cursos e palestras online.

 

4. Quais sonhos ainda não realizou? Quais suas metas para 2024? 

Amar o que se faz é o segredo da realização. Só peço a Deus saúde para continuar trabalhando na profissão que escolhi e que exerço com paixão.

5.Como se relaciona com o divino? Tem algum santo de devoção? 

 Rezo diariamente por ter mais a agradecer do que a pedir. Nossa Senhora Aparecida é minha santa de devoção.

 

6. Quais são seus hobbys?

Tenho paixão por uma boa música, um bom livro, os museus, teatros e galerias de arte do velho continente e por tudo que me acrescente culturalmente novos conhecimentos. Para mim, nunca é demais.

 

7. Está lendo algum livro no momento? Qual o último livro que leu? E qual você não tira da cabeceira? 

Atualmente estou lendo "Mitologia - História de Deuses e Heróis" , de Thomas Bulfinch. O último livro que li foi  "Mostre-me Deus",  de Fred Heeren e o livro que não tiro da minha cabeceira foi um que ganhei do meu amado filho Aluísio Neto, "O Poder Milagroso dos Salmos", de Luz Stella Rozo.

 

8. Quais os lugares mais incríveis que já visitou? E para qual sempre volta para recarregar as energias? 

Os locais mais incríveis que já visitei  foram a Amazônia e o Grand Canyon National Park, no Arizona/Estados Unidos. Nesses locais, sentimos a presença de Deus e como é bela a natureza. Recarrego as energias com a família no nosso paraíso no Porto das Dunas. O mar me renova.

 

9. Como faz para conciliar a família e as demais atividades? 

O amor é a base de tudo. Sou casada há 35 anos com o dr. Aluísio Cruz Júnior, cardiologista e a medicina nos uniu e facilitou por compartilharmos os mesmos objetivos.

 

10. Pra você família é...
Tudo, porto seguro, benção de Deus nas nossas vidas.

Lar.png

A paixão que

se tornou ofício

Por Kelly Garcia

Nossa entrevistada da semana é a decoradora Socorro Trindade. Uma das mais conhecidas de Fortaleza no aluguel de mobiliários exclusivos, a decoradora já atuou em outras áreas e ama inovar em seus trabalhos. Hoje, está com um novo showroom, mais amplo, em um novo endereço e está com uma parceria para lá de especial com a Festejarce.  Saiba mais na nossa entrevista!

1. Como se deu a escolha por trabalhar com eventos? Há quanto tempo você trabalha nesse segmento?

Eu trabalhei muitos anos com confecção.  Nessa área, era preciso entender de produção de vitrines e isso me interessava muito. Por conta da festa de casamento da minha filha, fiquei bastante empolgada pelo mundo de festas e eventos e resolvi migrar pra este setor.

 

2. Como fez para montar seu acervo de mobiliário? Onde você busca inspiração para escolher suas peças?

Primeiro, fiz uma pesquisa de mercado e passei a conhecer que mobília era utilizada pra cada tipo de evento. Também busquei lojas especializadas, fora do Ceará, além de antiquários e revistas dessa área. Utilizamos ainda algumas peças executadas pelo nosso próprio escritório, tudo de acordo com o tipo de evento e para atender o interesse dos profissionais dessa área. Também costumo participar de workshops fora do Estado para me aprimorar e das maiores feiras de mobiliário, para estar sempre oferecendo o melhor para as decorações.

 

3. Qual o maior desafio e a maior delícia de atuar nesse setor?

O maior desafio é estar buscando conhecimento pra se manter atualizada e o que mais eu gosto deste segmento de festas é porque conseguimos deixar cada evento único. Isso não tem preço.

 

4. Quais os seus sonhos profissionais?

Meu sonho profissional é ser cada vez melhor no que me proponho a realizar.

 

5. Você falou que gosta de viajar. Quais os seus destinos preferidos?

Minhas viagens são mais de negócios e, de vez em quando, a lazer. Na minha área, como já tinha dito antes, estou sempre conferindo workshops com profissionais gabaritados da área de eventos, dentro e fora do Estado, além das feiras de mobiliário e de eventos.

 

6. Qual momento da sua vida classificaria como mais desafiador? O que aprendeu com isso?

O desafio da vida foi minha mudança de profissão, quando migrei da confecção para o mundo de festas e eventos. Aprendi que nunca é tarde para recomeçar.

 

7- Que conselho daria para quem está começando a atuar como decorador? É possível encontrar bons cursos para se aprimorar aqui em Fortaleza?

Para quem está começando no mundo de festas, o meu conselho é: estude, mas estude muito. Os cursos ainda são escassos, mas na vida, quando se quer aprender, ainda mais hoje, com a tecnologia a nosso favor, nada é impossível.

 

8. Nos conte as novidades das novas instalações do showroom e do seu acervo. 

No lugar de Festa, o que não pode faltar são as novidades, as tendências são sempre pautadas em inovações.
Já o showroom foi pensado para locações dos acervos, mobílias de alta qualidade para festas, procurando buscar as tendências do mercado com a finalidade de atender bem o cliente. Os produtos, as coleções foram escolhidos a dedo.  

 

9. Quais são as tendências em decoração para o ano de 2024? Como você está se preparando para isso?

Os elementos ganharam a naturalidade, uma aposta para o segmento. Para quem já é adepto das plantinhas, 2024 será um ano para incentivar ainda mais. Já na decoração não será apenas sobre embelezar espaços, mas sim sobre criar ambientes autênticos que unem estética e função com mobílias adequadas a cada ambiente. As tendências emergentes do ano refletem uma fusão entre tradição e modernidade, com um toque de responsabilidade ecológica. 

 

10. Nos fale mais sobre a sua nova parceria com a Festejarce. 

Visando uma aceleração na sua expansão, nos unimos com a Festejarce locações de peças para eventos. Fundada desde 2017, pela empresária Thatyanna Mascarenhas, o Lugar de Festa e Festejar, agora são uma só empresa, já consolidada no mercado, seguindo sempre tendências e trazendo o que há de melhor em móveis e peças decorativas para eventos. 

 

11. Como estão os preparativos para as festas de fim de ano?

Com a chegada das festas de final de ano, o Lugar de Festa está preparado para atender as expectativas dos clientes, tem um acervo requintado cheio de inovação para as demandas e festas, sempre pensando no consumidor, apresentando um estoque em atual em mobílias.

Como toda empresa que preza por seus clientes não só no final do ano, o Lugar de Festa está sempre preparado para atender com um padrão de excelência. Temos acervos para todas as festividades. Venha conhecer! 

 

12. Quais os seus hobbys?
Gosto de praia. Costumo tirar nas férias um período para ficar à beira mar, seja aqui no Estado mesmo ou no Nordeste. Afinal, temos as melhores praias, não é mesmo?

 

13. Você gosta de ler? 
Gosto de ler muito sobre meu trabalho e atualidades.

 

14. Qual sua fé? Você tem algum santo de devoção?
Sou católica não praticante, mas tenho Deus na minha vida e gosto muito de São Francisco de Assis. Sua história de vida é muito tocante e inspiradora.

Lar.png

Medicina como missão

e tradição de família

Por Kelly Garcia

A médica oftalmologista Excelsa Costa Lima tem tradição de família nessa especialidade. Inspirada no pai, seguiu o mesmo caminho na Medicina e hoje seus filhos também seguiram seu caminho profissional. Sempre de alto astral, ama ler, assistir filmes e séries e curtir a boa companhia dos amigos quando não está trabalhando. Ao lado do marido Arthur e dos filhos, encontra a paz e a força para os momentos difíceis. Confira a entrevista em nosso perfil semanal.

1. Como entendeu que queria ser médica? Foi fácil entrar na faculdade de medicina? Onde você fez? E como se deu a escolha pela oftalmologia?

Desde criança queria ser médica. Foram anos de estudo e dedicação para prestar o vestibular, a concorrência era enorme e de altíssimo nivel, passei de primeira, na Faculdade de Medina na UFC. Durante o curso, após passar por todas as cadeiras, me encantei com algumas, mas finalmente decidi pela oftalmologia. Meu pai era oftalmologista também e acabou me inspirando a seguir os mesmos passos.

 

2. Quais são os desafios e as delícias de ser médica oftalmologista?

Os desafios são muitos. O maior, talvez, seja que muitas pessoas não tem acesso à uma medicina de qualidade por fatores econômicos e sociais. A delícia é conseguir curar! Não existe recompensa maior para mim dizer ao paciente que está curado.

 

3. Como você faz para se manter atualizada na sua profissão?

Congressos, leituras de estudos científicos e atualmente, com a internet, há inúmeros Webmeetings. Essas conferências virtuais vieram pra ficar.

 

4. Quais sonhos ainda não realizou? 
Gostaria muito de conhecer a China.  As metas para 2024 vão ser: continuar trabalhando e com saúde.

 

5. Como se relaciona como divino? Tem algum santo de devoção?

Sou católica, mas confesso que pouco praticante. A minha maior fé é confiar que o bem sempre vence o mal. 

 

6. Quais são os seus hobbys?

Viajar, ler e assistir séries e filmes. Ultimamente, estou me encantando pela culinária.

 

7. Qual o lugar mais incrível que já visitou? E para qual sempre volta pra recarregar as energias?

Macchu Pichu foi uma experiência fantástica. Dubai me surpreendeu, em termos de cidades incríveis. Nova Iorque e Londres também me agradam muito. O lugar que me traz tranquilidade e paz é a Ilha do Pinto. Adoro o Fortim. Lugar maravilhoso.

 

8. Como faz para conciliar a família e as demais atividades?

Durante a semana, me dedico inteiramente ao trabalho. Os fins de semana são para a família e amigos.

 

9. Está lendo algum livro no momento? Qual o último livro que leu? E qual você não tira da cabeceira?

Estou lendo A Montanha Mágica de Thomas Mann. O último que li foi 21 Lições Para o Século 21 do Yuval Noah Harari. Meu livro predileto é Dom Quixote, de Cervantes.

 

10. Pra você, família é... Tudo!

A família é o lugar onde começa a vida e o amor nunca acaba. É a base que permanece em pé, mesmo nas mais fortes tempestades. Nada se compara ao amor de uma família unida.

Lar.png